sexta-feira, fevereiro 10, 2017

pouca luz.
vou escrever aqui tudo o que eu quero dizer a você e essa coisa besta que me acompanha de desconfiar que as pessoas fazem um esforço imenso pra me suportar, como eu mesmo não me suporto cinco mil vezes ao dia como se não fosse um esforço imenso pra mim também e aprendi essa coisa horrorosa com você e essa conversa de "vamos sair dessa mais fortes" só se for você meu querido porque eu saí bem péssimo e tudo.
É engraçado como essa história se repete ao longo do tempo temos aqui os registros, infelizmente não é ficção é minha vida registrada para sempre.

sexta-feira, maio 11, 2012

8 de julho.

Nós estamos em plena decadência. Eu e você estamos em plena decadência. A nossa relação está em plena decadência. Quando duas pessoas chegam  a se dizer isso tranquilamente, é sinal de terra à vista. Nem tudo é um naufrágio na vida. Mas um dia eu ainda me afogo no álcool.
(Ana Cristiana Cesar in Simulacro de uma solidão)

domingo, março 25, 2012

Como rasurar a paisagem

de Ana Cristina Cesar

a fotografia
é um tempo morto
fictício retorno à simetria

secreto desejo do poema
censura impossível
do poeta

domingo, março 11, 2012

O grito.


*

"Passeava com dois amigos ao pôr-do-sol - o céu ficou de súbito vermelho-sangue - eu parei, exausto, e inclinei-me sobre a mureta - havia sangue e línguas sobre o azul do escuro do fjord e sobre a cidade - os meus amigos continuaram, mas eu fiquei ali a tremer de ansiedade - e senti o grito infinito da Natureza"
(trecho do diário de Edvard Munch que encontrei no wikipedia. Não gosto de citar uma referência da internet, mas para mim é a descrição do quadro, o que presumo a pintura se tratou de uma experiência de angústia pessoal)

terça-feira, março 06, 2012

Estou atrás

por: Ana Cristina Cesar

do despojamento mais inteiro
da simplicidade mais erma
da palavra mais recém-nascida
do inteiro mais despojado
do ermo mais simples
do nascimento a mais da palavra

sábado, março 03, 2012

Ciúmes.

por: Ana Cristina Cesar

Tenho ciúmes deste cigarro que você fuma
Tão distraidamente

abril/68

segunda-feira, fevereiro 27, 2012

VOLUME DAS ÁGUAS DO OCEANO


por: Raisa Christina

um livro inteiro de dedicatórias
aos meninos que acordam cedo para ir ao mar
que trabalham e estudam
que já são comprometidos
e que, portanto, não podem
ou não querem
viver comigo